Bruxelas – A capital da Europa, terra de Tintim e dos Smurfs

Bruxelas é a sede da União Européia, capital da Bélgica, e uma cidade onde dois idiomas são falados: o flemish (o flamengo), resultado da colonização flamenga, ao norte, e o francês, ao sul, resultado da colonização francesa e valã. Pode-se ver e ouvir esses dois idiomas nas linhas de metrô, nas placas de sinalização, nas repartições públicas, e nos mais diferentes lugares ao longo da cidade. A população da cidade é de cerca de 1,2milhão de pessoas, é o berço do euro, e capital dos quadrinhos mais famosos já criados, como o Tintim e os smurfs.
img_7780

A cidade é vibrante, os belgas são bem afetuosos, e, mesmo no inverno, quando visitamos, apesar do frio, a noite é plena de feirinhas de natal em vários pontos da cidade, com jovens espalhados por toda a cidade, curtindo a noite na rua, sem a clausura de bares ou baladas fechadas. Nós conhecemos Bruxelas a partir de Bruges, de trem. Passamos duas noites e três dias na cidade. Julgamos que esse período, apesar de curto, é suficiente para visitar a maior parte dos monumentos históricos e para se ter uma idéia de como é a vida na cidade. Bruxelas também pode ser usada como base para se conhecer outras cidades da belga, podendo percorrê-las de trem.

dsc_1193

A zona central da cidade pode ser toda percorrida a pé. Para conhecer lugares um pouco mais distantes, as estações de metrô perfazem a maioria das atrações turísticas. Pode-se comprar bilhetes de metrô com duração de 24 horas, pelo valor de 7 euros. As principais atrações turísticas da cidade são:

1 –  Grand Place (Grote Markt):

Essa praça é o marco zero da cidade, em torno da qual todas as grandes atrações turísticas podem ser visitadas. É considerada a praça mais bonita do mundo, na opinião do escritor francês Victor Hugo (então tá, eu não discuto com ele) sendo considerada patrimônio mundial da Unesco, desde 1998. Ao redor da praça podem ser vistos mais de 40 edifícios góticos, todos históricos, com combinação de vários estilos arquitetônicos, desde o barroco italiano até o flamengo. A praça data do século XVI, onde funcionava um grande mercado de alimentos. Sofreu várias transformações durante os séculos, sendo que seu aspecto atual data dos anos de 1696-1700.

dsc_1166

A praça é bonita de dia, de noite, sob qualquer ângulo. Perdoem-nos o excesso de fotos, mas o encanto sobressalta aos olhos!

dsc_1165

Os principais prédios são Hôtel de Ville (Prefeitura, edifício do século XV), a Gilded Plaque, um monumento art nouveau com uma enigmática escultura em bronze.

img_7781

A praça é bonita de dia, durante a noite, em qualquer horário. Fomos visitá-la em dezembro, próximo ao natal. A praça fica toda enfeitada de natal, e, durante a noite, acontecem shows com luzes e músicas, corais natalinos, para celebrar a época mais linda do ano.

dsc_1153

Não nos resta outra opção a não ser concordar com Victor Hugo!!!!!

dsc_1192

2 – Manneken Pis Fountain:

Essa pequena estátua de bronze é o símbolo de Bruxelas. É o menino fazendo xixi mais famoso do mundo. A estátua original foi feita em 1619 por Jerôme Duquesnoy, o Velho. São várias as lendas e as versões que tentam contar a história da estátua. Uma diz que um certo pai carregava seu filho numa cesta de frutas, e o colocou sobre uma árvore, quando foi chamado a participar de uma batalha perto de onde ele se encontrava. O garoto começou a urinar sobre os inimigos do pai, assustando-os e os afugentando. A batalha foi vencida.

dsc_1098

Outra lenda sobre a estátua conta que um menino apagou uma bomba prestes a explodir fazendo, ingenuamente, pipi sobre ela.

dsc_1101

Em meados do século XVIII, foram várias as tentativas de roubar a estátua, sobretudo pelos exércitos francês e britânico em 1745. Mas foi o roubo de 1817 por um ex-condenado, Antoine Licas, foi o mais trágico de todos: o ladrão despedaçou a estátua pouco depois de a ter roubado. No ano seguinte foi feita uma réplica que ocupa o lugar da estátua original, e é essa cópia que vemos hoje (a estátua original está na Maison du Roi). O moleque mijão, invariavelmente, é decorado e vestido com diversas roupas, a depender da época do ano. Para visitá-lo, basta sair da Grand Place pela Rue de L’Étuve e seguir até a esquina com a Rue de Chêne. Metrô: Anneessens; Bourse. Rue de L’Étuve 31.

3 – Yanika Pis:

Em tempos de politicamente correto, e igualdades de direitos e o escambal,o dono do Bar mais descolado de Bruxelas, O Delirium, teve a idéia de fazer um contraponto ao menino mijão. Mandou fazer uma estátua de uma menina mijando, num beco escuro chamado Rue de Fidelité, na esquina com a Rue de Bouchers.

img_7161

Aproveite o ensejo e vá ao bar mais transado de Bruxelas… Logo em Frente.

4 – Delirium Café:

O Delirium é conhecido por ser um dos bares mais populares de Bruxelas, com cerca de 2500 rótulos de cerveja para apreciar, sendo também o bar da famosa cerveja do “Elefantinho Rosa”, a Delirium Tremens. Vá lá, e aproveite o estilo roots da cervejaria, com suas mesas em forma de barris, e as paredes propositadamente pichadas e grafitadas.

dsc_1119

Tem tudo, para todos os gostos!

dsc_1121

Aproveite e faça uma fotinha instantânea com sua alma gêmea.

img_7713

img_7712

Imperdível!  Fica na Impasse de la Fidelité, 4A, bem perto da Grand Place.

5 – Cathédrale des Saints-Michel e Gudele:

Após se refestelar nos prazeres carnais etílicos, é bom dar um pulinho na misssa para redenção dos pecados. A Catedral de Bruxelas é uma boa pedida. Datada do ano 1220, constitui a síntese de todos os períodos de arte, do século 6 ao 13.

dsc_1138

Destaque para o púlpito, representando a Expulsão de Adão e Eva do Paraíso, datado do ano de 1699.

dsc_1141

Os Vitrais do século XVI também são um espetáculo a parte. A Catedral fica na parte alta da cidade, aonde é possível admirar a belíssima vista.

dsc_1140

A Catedral fica na Place et Parvis Ste. Gudule, perto do metrô Gare Centrale.

6 – Centre Belge de La Bande Dessinée (Museu Belga de Histórias em Quadrinhos):

Aproveite o ensejo, caminhe alguns poucos quarteirões da Catedral de Bruxelas e visite o Museu das Histórias em Quadrinhos. Esse museu é extremamente interessante, por contar toda a história dos quadrinhos, da Bélgica e também da Europa. Fantástico admirar os primeiros traços do famoso herói Tintim, criado pelo artista belga Hegé em 1929. Além disso, criou uma série de personagens, como o Macaco Simão.

Imperdível também conhecer a história dos Smurfs e o maldoso Gargamel, também uma criação do artista Belga Peyo. Inclusive o nome original é impronunciável “Les Schtroumpfs”. Smurfs soa melhor, definitivamente…

Atração para adultos e crianças. Não deixe de ir. Fica na Rue des Sables, 20, perto do metrô Congres. Os ingressos são comprados na hora!!

7 – Notre Dame Du Sablon:

Voltemos a missa, para visitar a belíssima Notre Dame Du Sablon, igreja cuja construção foi iniciada em 1304 e concluída em 1550. A Igreja tem arquitetura Gótica, e é um clássico a se visitar em Bruxelas. A construção foi iniciada sob o domínio de Henry I, duque de Brabant.

dsc_1083

Existe uma lenda, segundo a qual, uma devota chamada Beatrijs Soetkens, teve uma visão com a Virgem Maria, que a instruiu a roubar a Estátua Miraculosa de Nossa Senhora do pequeno cajado, em Antuérpia. Através de eventos inacreditáveis, a devota conseguiu trazer a imagem para Bruxelas em 1348, depositando-a na Capela de Sablon. Anualmente, é realizada uma procissão, aonde a imagem é carregada pelas ruas de Bruxelas.

dsc_1085

Seus vitrais chegam a 12 metros de altura. Fica na rue de lá Régence 38, perto do metrô Porte de Namur.

8 – Galeries Royales St. Hubert:

Essas galerias foram o primeiro Shopping Center de Bruxelas, e foram construídas em 1847 pelo arquiteto J. P. Cluysenaer. É composta por 3 galerias: Galerie du Roi, Galerie de la Reine e Galerie des Princes. Seu interior apresenta várias lojas de chocolate belga, com várias guloseimas para comer enquanto se aprecia a arquitetura do lugar.

dsc_1131

Fica na Rue du Marché-aux-Herbes. Metrô: Gare Centrale.

9 – Musée René Magritte:

Para quem assistiu o filme ou leu o livro “A culpa é das estrelas”, vai se lembrar da camisa da garota Hazel Grace, com as inscrições”Ceci n’est pas une pipe” (Isto não é um cachimbo). Esse foi um quadro pintado pelo artista belga surrealista René Magritte em 1929. Magritte foi um dois principais artistas surrealistas do século XX, e teve como amigo o também surrealista, o francês Marcel Duchamp.

zz4c97879a

O museu conta com as principais obras do artista. As obras do artista dão novos significados aos objetos comuns, mas de uma forma diferente. A simplicidade enganadora de Magritte apresenta um conteúdo filosófico e poético, que de alguma forma, satiriza o conturbado e instável século XX, principalmente no seu início. Afinal, foram duas grandes guerras mundiais que implodiram o continente Europeu, associado a toda loucura insana do nacional-socialismo e o holocausto, que vieram a tona com a segunda guerra mundial. As coisas realmente não eram o que pareciam ser.

Para chegar o museu pegue o metrô e salte na estação Gare Centrale. Fica na Rue de la Régence 3.

Caminhar pelas ruas de Bruxelas já é uma aventura. Em várias esquinas é possível avistar pinturas e grafites do Tintim e outros personagens de quadrinhos.

dsc_1097

Essa são nossas impressões sobre a cidade de Bruxelas. No próximo post relataremos nossas impressões sobre as fritas, os mexilhões, o chocolate e a cerveja belga.

Carpe Diem!!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s